entrar


Uso de defensivos naturais para o controle de pragas e doenças em hortas orgânicas no sertão de Pernambuco



                        

Experiência: Uso de defensivos naturais para o controle de pragas e doenças em hortas orgânicas no sertão de Pernambuco

Chamada: Defensivos naturais para o controle de pragas e doenças em hortas

Ano Publicação: 2006
Os agricultores e agricultoras do Sertão Central de Pernambuco reuniram-se em uma oficina para discutir os principais produtos naturais utilizados na região no controle de pragas e doenças. Eles lembram que esses produtos, apesar de serem naturais, devem ser aplicados sempre na quantidade e na freqüência certa, somente quando necessário. Quando conhecer uma nova receita, eles aconselham antes testar o modo de usar e a concentração do produto numa pequena porção da horta até comprovar o efeito da dosagem sem comprometer a produção. Por fim, eles lembram que mesmo não sendo agrotóxico, um defensivo natural é um produto ativo e tem que esperar pelo menos dois dias após a aplicação para colher as hortaliças. Os produtos mais usados no Sertão Central de Pernambuco são:
Farinha de trigo com detergente: dissolver 1 quilo de farinha em 20 litros de água e meio litro de detergente neutro. Aplicar de manhã em cobertura total. A aplicação será mais eficiente em dias quentes e secos. Pode combater a mosca branca, ácaros, pulgões e lagartas de horta.
Pimenta malagueta: bater 500 gramas de pimenta vermelha ou malagueta em um liquidificador com 2 litros de água. Coar o preparado e misturar com 5 colheres das de sopa de sabão de coco em pó, acrescentando mais 2 litros de água. Pulverizar as plantas atacadas por pulgões, vaquinhas, grilos e lagartas. Aguardar 12 dias para colher.
Folha de nim: misturar 250 gramas de folhas e ramos verdes picados em 20 litros de água. Aguardar um dia. Coar e pulverizar. Serve como repelente para uma grande variedade de insetos.
Fumo: mistrurar 250 gramas de fumo em 20 litros de água e 500 ml de detergente neutro. Aguardar 24 horas. Excelente inseticida contra pulgões, vaquinhas, cochonilhas, lagartas etc.
Alho: dissolver um pedaço de aproximadamente 50 gramas de sabão de coco em 4 litros de água. Juntar 2 cabeças picada de alho e 4 colheres de pimenta vermelha. Coar em pano fino. O alho é um bom repelente de insetos, bactérias, fungos e nematóides.
Urina de vaca: Deixar curtir a urina de vaca em um recipiente fechado por 4 dias. Depois misturar um copo da urina em 20 litros de água. Serve principalmente para combater ataques de moscas, pulgões e largadas, ao mesmo tempo em que serve como adubo para as hortaliças.
Angico: Deixar 1 quilo de folhas e vagens de angico de molho em 10 litros de água durante 5 a 8 dias. Coar e diluir 1 litro da solução em 5 a 10 litros de água. Indicado no comabete de pulgões, lagartas e formigas.
Autor(es):

CECOR - Centro de Educação Comunitária Rural

Relator(es):

CECOR - Centro de Educação Comunitária Rural

Áreas Temáticas
 Manejo de pragas, doenças e plantas espontâneas
 Caldas e Biofertilizantes

Áreas Geográficas
 Sertão Pernambucano
 Serra Talhada

Relações
clique nos ícones abaixo para ver as experiências nestes temas
  Manejo de pragas, doenças e plantas espontâneas
  Caldas e Biofertilizantes

Comentários
Nome E-mail Comentário Data Inclusão