entrar


Agrofloresta de Inacinho Rohr



                        

Experiência: Agrofloresta de Inacinho Rohr

Ano Publicação: 2016
“Agrofloresta do Inacinho” localiza-se no município de Tupandi, no Vale do Rio Caí, e propicia a obtenção de renda dos Rohr. Essa renda é advinda em 80% da venda de produtos agrícolas, principalmente cítricos e 20% do turismo rural, também relacionado à Agrofloresta. Dessa porcentagem, excluiu-se tudo que é produzido e consumido pela família, que inclui desde ovos, carne e leite até mandioca, bergamota, laranja, manga, pêra, caqui, fruta-do-conde, hortaliças, abacaxi e outras.
A propriedade de 12,3 hectares está disposta sobre uma área distribuída ao redor, sendo que a estrada de acesso continua, passando pela horta, até o Sistema Agroflorestal, que ocupa uma área de 11 hectares, possui remanescentes de mata nativa (que ocupam um 7% da área total da propriedade). A fisionomia da agrofloresta é similar a de um bosque, apresentando cobertura de indivíduos de diferentes espécies nativas e, em alguns pontos, a fisionomia se aproxima a de uma floresta.
A motivação principal foi a observação do Inacinho de que as árvores de citros que cresciam próximas ao mato nativo eram mais “vistosas” e “sadias”. Assim, o agricultor passou a fazer roçadas seletivas no pomar, deixando se desenvolver espécies nativas, sobretudo o angico. Também enriqueceu o pomar com outras espécies frutíferas, principalmente banana. Os cítricos são espécies-chave em 95% do sistema. Nesse grupo de plantas se destacam as variedades de laranja Valência e Monte Parnaso, além das variedades de bergamota Caí, Montenegrina, Ponkan e Pareci. Em uma área equivalente a 5% do sistema a banana é espécie-chave. O estrato superior é formado principalmente por angico, contudo, há ocorrência de uma série de espécies em diferentes densidades, dentre as quais se destacam: Uva do japão, tungue, chal-chal, guajuvira, jerivá, camboatá, aroeira-vermelha, açoita-cavalo, fumo-brabo.
Todas as espécies citadas cumprem distintas funções no sistema. As espécies-chave são as que geram renda. As demais também cumprem funções produtivas, fornecendo lenha, madeira e frutos para consumo da família. Também fornecem alimento para fauna e propiciam a ciclagem de nutrientes no sistema.
Autor(es):

Resnea (Rede Sul de Núcleos de Agroecologia e Sistemas de Produção Orgânicos)
Resnea (Rede Sul de Núcleos de Agroecologia e Sistemas de Produção Orgânicos)

Relator(es):

Yuri Pinheiro Sias

Áreas Temáticas
 Sistemas Agroflorestais e Agroextrativismo
 Desenvolvimento Rural

Áreas Geográficas
 Tupandi
  Sistemas Agroflorestais e Agroextrativismo
  Desenvolvimento Rural

Comentários
Nome E-mail Comentário Data Inclusão